O NOSSO TEMPO

tenho aprendido com o tempo,
que a felicidade vibra,
na frequência das coisas mais simples...
como a doçura contente de um cafuné sem pressa...
como os instantes que repousamos os olhos em olhos amados...
como aquele poema que parece
que fomos nós que escrevemos...
como o toque da areia molhada sob os pés descalços...
como o sono relaxado e tranquilo
que põe todos os sentidos pra dormir...
como a presença da intimidade legítima e verdadeira...
como o banho bom que devolve forças ao corpo...
como o cheiro de quem se ama...
como essas coisas...
como outras coisas...

simples assim...

como o nosso amor...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Exemplo...


o homem enxerga sempre,
através da visão interior,
com as cores que usa por dentro,
julga os aspectos de fora,
pelo que sente,
examina os sentimentos alheios,
na conduta dos outros,
supõe encontrar os meios e fins
das ações que lhe são peculiares,
dai,
o imperativo de grande vigilância
para que a nossa consciência
não se contamine pelo mal,
quando a sombra vagueia em nossa mente,
não vislumbramos senão
sombras em toda parte,
junto das manifestações
do amor mais puro,
imaginamos alucinações carnais,
se encontramos um companheiro trajado
com louvável apuro,
pensamos em vaidade,
ante o amigo chamado à carreira pública,
mentalizamos a tirania política,
se o vizinho sabe economizar
com perfeito aproveitamento da oportunidade,
fixamo-lo com desconfiança
e costumamos tecer longas reflexões
em torno de apropriações indébitas,
quando ouvimos um amigo na defesa justa,
usando a energia que lhe compete,
relegamo-lo, de imediato,
à categoria dos intratáveis,
quando a treva se estende,
na intimidade de nossa vida,
deploráveis alterações
nos atingem os pensamentos,
virtudes,
nessas circunstâncias,
jamais são vistas,
os males,
contudo, sobram sempre,
os mais largos gestos de bênção
recebem lastimáveis interpretações,
guardemos cuidado toda vez
que formos visitados pela inveja,
pelo ciúme,
pela suspeita
ou pela maledicência,
casos intrincados existem
nos quais o silêncio
é o remédio bendito e eficaz,
porque, sem dúvida,
cada espírito observa o caminho
ou o caminheiro,
segundo a visão clara
ou escura de que dispõe...


Francisco Cândido Xavier
by


7 comentários:

  1. Dele chegam sempre lindas e profundas mensagens! bela escolha! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Rô


    Linda mensagem...
    As vezes o silêncio é o melhor remédio mesmo.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  3. Oi Rô

    O Chico escreve com tanta sabedoria e amor.
    Todos os dias precisamos ter a vontade e buscar sermos pessoas melhores. Isso com certeza faz a diferença nas vidas que tocamos. É um processo longo, mas se todos buscassem isso, poderíamos mudar o mundo.

    bjokas com carinho =)

    ResponderExcluir
  4. No caminho da vida, cada cor se apresenta de um jeito especial, conforme os olhos que admiram.

    Profunda reflexão do Chico.

    Meu abraço, Rô.

    ResponderExcluir
  5. As cores mudam a cada passo vivido. E por isso a vida é tão bela.
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  6. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir

já estava com saudades...
é muito bom ver você aqui...
que o seu dia seja somente amor...