O NOSSO TEMPO

tenho aprendido com o tempo,
que a felicidade vibra,
na frequência das coisas mais simples...
como a doçura contente de um cafuné sem pressa...
como os instantes que repousamos os olhos em olhos amados...
como aquele poema que parece
que fomos nós que escrevemos...
como o toque da areia molhada sob os pés descalços...
como o sono relaxado e tranquilo
que põe todos os sentidos pra dormir...
como a presença da intimidade legítima e verdadeira...
como o banho bom que devolve forças ao corpo...
como o cheiro de quem se ama...
como essas coisas...
como outras coisas...

simples assim...

como o nosso amor...

terça-feira, 25 de junho de 2013

Refletindo...



a presunção e a intolerância
podem arruinar o que temos de melhor
em nossas vidas,
uma vez que somos cegos
para muitas coisas,
nós seres humanos desenvolvemos cada vez mais
uma grande capacidade de destruir
o que temos de mais belo na vida,
por falta de sabedoria,
ou ego inflado demais,
o medo pode assustar e nos fazer correr
para o que nos é seguro,
talvez o desconhecido traga consigo
o medo,
e por isso somos intolerantes,
uma vez que procuramos defesas
no que conhecemos,
somos tão incompreensivos
que não queremos entender
o outro lado da moeda,
e queremos assim impor
o que nos parece correto,
porém a verdade é relativa
e o ser humano é uma criança
que ama brincar com verdades
como se elas fossem brinquedos,
e é bem verdade,
que existe um pequeno grupo
que pode ter até
uma visão mais amplificada,
mas não deixa de ser temeroso,
porém o bravo, combate o medo,
e o medo já não se faz presente
quando entendemos o desconhecido,
aquilo que uma vez fora desconhecido,
agora se torna conhecido e tolerável,
mas somente
se tivermos vontade de entende-lo,
entender o que não conhecemos
é mais difícil do que entender
o que conhecemos,
por isso preferimos por muitas vezes
ficar na segurança da intolerância
e na ausência da sabedoria e do conhecimento,
ah, triste é aquele que é cego por opção,
pois este nada irá enxergar
em toda a sua vida...



16 comentários:

  1. Observar, aprender a tirar as próprias conclusões: essencial! E mudar, se necessário.

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto e há tantos que mesmo não cegos, NÃO QUEREM VER!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. BRAVO, Rô, estamos vivendo na era dos "egos inflamados", infelizmente :(
    bjs e ótimo dia pra vc

    ResponderExcluir
  4. Olá Ro
    Um ego mal administrado, é o maior inimigo das pessoas.
    Bjux

    ResponderExcluir
  5. Como no velho ditado, Rô: o pior cego é aquele que não quer ver. Belo post, boa semana!

    ResponderExcluir
  6. De vez em quando, tenho uns ataques de intolerância, Rô. Eles estão diminuindo, mas ainda preciso melhorar. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Cara Rô,
    Suas palavras, como sempre, contém muita sabedoria e descrevem perfeitamente pessoas intolerantes e sei disso da pior forma, porque muitas vezes, infelizmente me comporto assim.
    Tento me policiar e estou tentando me melhorar a cada dia, mas desde que estou nesta empreitada, o que descobri de mais verdadeiro é que ninguém muda ninguém, porque venho tentando me mudar e é uma tarefa muito árdua e difícil mudar a si mesmo, quanto mais querer mudar os outros... é pretensão demais!!!
    Mas tenho fé em mim e o que mais quero é me tornar uma pessoa melhor, mais tolerante e mais compreensiva.
    Que seus dias sejam cheios de muito amor e harmonia!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Rô

    bela reflexão.

    bjokas com carinho =)

    ResponderExcluir
  9. Liiiiiiiinnnnnnnndoooooooooooooo!!!!! Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Neste tempo em que vivemos há muita gente intolerante e mt que não quer ver...
    Beijo.
    isa.

    ResponderExcluir
  11. Querida amiga

    Sempre que dirigimos
    os nossos pensamentos,
    ao que acorda sentimentos bons
    em outras vidas,
    cada palavra escrita
    é uma espécie de oração.

    Que teu coração seja o céu
    onde as palavras possa voar
    buscando a esperança.

    ResponderExcluir
  12. Querida Rô, seu texto é muito perspicaz, nos leva a refletir, em enxergarmos ou ficarmos cegos por conveniência, sabermos ou dizer que nada vimos, nada sabemos, pensarmos que seria mais fácil vivermos à margem de tudo para então sobreviver ao mundo tão desumano?
    Quanto estudo seu texto nos remete.Parabéns!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Muito triste o cego por opção...esse morrerá com a viseira da ilusão!
    obrigada pelo carinho! bjss

    ResponderExcluir
  14. Ola Rô!

    Eu adoro o desconhecido por sentir que nos renova. E renovação é aprendizado sempre!

    PS:Querida obrigada pela presença no novo espaço!
    Ah!Como lhe disse la que pesquisaria, finalmente consegui adicionar o gadget de seguidor.

    Te seguindo com o novo perfil!

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Minha querida

    Voltando (embora ainda devagar), mas com muitas saudades e agradecendo o carinho deixado durante a minha ausência.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  16. Lindo blog,lindas palavras e poesias!

    beijos

    ResponderExcluir

já estava com saudades...
é muito bom ver você aqui...
que o seu dia seja somente amor...